Wednesday, April 6, 2016

O Paladar do Bebé




Os bebés nem sempre aceitam, de caras, determinados alimentos, essa recusa, normalmente, não acontece por não gostarem mas sim por estranharem e necessitarem de tempo para se adaptarem ao seu sabor, textura ou até mesmo cheiro. Não nos podemos esquecer que é tudo novo para eles que durante 6 meses só conheceram leite materno (e/ou artificial).
É importante não desistirmos de um determinado alimento só porque nos parece que eles não gostaram da primeira vez que experimentam. Há que repetir, porque em muitos casos só depois de inúmeras vezes é que a criança passa a aceitar e comer.
Lembro-me que li algures algo tipo “tente pelo menos dez vezes antes de desistir”. Para mim faz sentido. Há que dar alguns dias de intervalo e voltar a tentar até conseguir. Óbvio que se depois de várias tentativas continuar a rejeitar pode dar-se de facto o caso da criança não gostar mesmo desse alimento, nós também não gostamos de tudo, temos preferência por certos alimentos e temos outros que não nos agradam. Pode também acontecer não gostar agora e daqui a alguns meses ou até mesmo anos começar a gostar – ou o oposto!
Em suma: ” não fechar a porta, encostar só” 😜
Importante, também, a meu ver, é não tentarmos mascarar o real sabor do alimento em causa. O paladar das crianças deve ser educado desde cedo. Não nos devemos nunca esquecer que o paladar deles nada tem a ver com o nosso.
Não devemos utilizar sal na alimentação do bebé, não só porque está associado a tensão alta na vida adulta, mas também porque os seus rins ainda não têm capacidade para processar mais do que o sódio naturalmente presente nos alimentos. O açúcar também deve permanecer na lista negra, acho que nem preciso salientar que este “simpático veneno” está associado à obesidade infantil,ao aparecimento de cáries dentárias e a mais uma mão cheia de maleitas. O mel nesta fase, também está fora de questão, pois pode causar uma doença grave chamada botulismo.
Além disso, e ainda que não houvesse problema em adicionar sal/açúcar existe o risco de acostumarmos o paladar dos nossos filhos a sabores muito fortes, e começarem a rejeitar sabores mais suaves e naturais, como os das frutas e legumes. É como se viciássemos o paladar da criança. Este tipo de sabotagem é perigoso e nada saudável, tanto a curto como a longo prazo. 
Fico fora de mim quando ouço frases tipo:
“Ah o médico disse para não meter sal na sopa mas eu sempre pus um bocadinho! Agora cá aquilo sem saber ao que quer que seja”
Ou
“Argh não lê dês essa papa que sabe a cartão, nem açúcar leva. Dá-lhe antes esta que é mais docinha, até eu como”
😡😱😡😱😭😱😡😠😤 enfim…
Bom mas isto tudo de facto faz sentido, e prova disso é que o meu filho hoje, após 5 vezes a fazer cara feia à banana, não só comeu como gostou!😋 🍌👍
Já agora deixo-vos com uma pequena curiosidade: “segundo estudos recentes, amamentar por mais tempo, também expõe o bebé a uma maior variedade de sabores, já que o que a mãe come afeta o sabor do leite materno. Isto contribuiu para que ele esteja mais receptívo a novos alimentos.”

Popular Posts